segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Quando O Mar Treme

As ondas destruidoras que se seguem a um terremoto
No dia l de Abril de 1946 um tre¬mor de terra abalou a planura abissal no fundo do oceano Pací¬fico. A vaga que o sismo gerou percorreu os 3600 km que a separavam do Havaí em 4 horas e 34 minutos, a uma velocidade média de 784 km/h. Quando atingiu a cidade de Hilo, a vaga tinha mais de 13,5 m de altura. Matou 173 pessoas, feriu centenas c causou prejuízos no valor de 10 milhões de libras.
A vaga era um tsunami causado pelo movimento do leito marinho durante o sismo. Os tsunamis, que se precipitam vio¬lenta e silenciosamente através do oceano para se esmagarem contra a praia mais pró¬xima, são as vagas mais aterrorizadoras. Há monumentos antigos ao longo da costa nipônica com a inscrição «Quando sentir um tremor de terra, espera um tsunami», conselho que reflete a longa história de de¬sastres causados pelos tsunamis no Japão.
A palavra, japonesa, foi adotada pelos cientistas de outros países para substituir a expressão enganadora «vaga de maré», com a qual os tsunamis não apresentam qualquer afinidade. A vaga expande-se a partir do epicentro do sismo, como as ondulações da superfície de uni lago provocadas pela queda de um seixo. Mas as vagas produzidas são tão extensas, e em água profunda a ondulação é tão ligeira, que os navios não as detectam. A energia armazenada no tsu¬nami, representando apenas l centésimo da energia total do sismo, pode igualar a potência de um engenho nuclear de 2,5 Mt.
 medida que o tsunami se aproxima da praia e chega a águas menos profundas, a sua energia torna-se mais concentrada e a al¬tura da vaga aumenta. Usualmente, a vaga é precedida por uma depressão que aspira a água ao longo da praia, podendo' provocar o encarnar de navios, como uma maré anor¬malmente vazia.
Os efeitos do tsunami são quase sempre aterrorizadores e por vezes extraordinários. Um oceanógrafo que presenciou um tsu-nami no Havaí, em 1946, contou que uma casa foi arrancada das suas fundações, transportada centenas de metros c assente outra vez - de forma tão suave que o pequeno--almoço que os seus habitantes estavam a preparar se não entornou.
Depois do desastre de 1946, foi instalado no Pacífico - o oceano mais afetado - um sistema de alarme preventivo contra tsunamis. Estações sismológicas distribuídas atra¬vés do Pacífico avisam as estações marítimas sempre que é detectado um tremor de terra.

Fonte: O grande livro do maravilhoso e do fantástico – Reader´s Digest

Nenhum comentário:

Postar um comentário