sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Primeiro veículo, primeiro desastre

E o inventor sentou-se no banco dos réus
Nicolas Cugnot, oficial de artilharia francês, foi o primeiro motorista do Mundo.
Alguns minutos depois de ter posto o seu veículo em marcha, teve o primeiro aci¬dente rodoviário registrado no Mundo.
E, decorrido um ano, tornou-se o pri¬meiro homem no Mundo a ser condenado por condução perigosa.
Surgiu em 1769 o seu veículo de 3 rodas, capaz, segundo Cugnot afirmava, de trans¬portar 4 pessoas a uma velocidade pouco in¬ferior a 3 km/h., e cuja roda da frente era acionada por um motor de 2 cilindros a vapor.
Mas o peso excessivo da grande caldeira de cobre na parte dianteira do carro tornava quase impossível dirigi-lo. Na sua primeira saída, a máquina demoliu um muro.
Sem perder o entusiasmo, Cugnot passou o ano seguinte a construir um modelo de maiores dimensões destinado ao transporte de canhões para o Ministério da Guerra Francês. Demonstrou a nova máquina numa rua de Paris, depois de impressionar os ob¬servadores militares com a afirmação de que esta podia carregar o peso equivalente a 5 t.
Mas a direção revelou-se de novo defi¬ciente e, quando Cugnot tentava dobrar uma esquina, o veículo voltou-se. O Minis¬tério perdeu o interesse - e Cugnot, a liber¬dade. Os magistrados enviaram-no para a prisão e confiscaram-lhe a máquina.
Quando Cugnot descobriu quais as modi¬ficações que deveria introduzir, a França vi¬via a Revolução. Cugnot transferiu-se para Bruxelas, onde veio a morrer no ano de 1804.
O transportador de canhões, de triste memória, de Cugnot, mais tarde recons¬truído, encontra-se no Conservatório das Artes de Paris.
Fonte: O grande livro do maravilhoso e do fantástico – Reader´s Digest

Nenhum comentário:

Postar um comentário